Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

O compasso de espera (que desespera)

26.02.21, Paula Veiga Claro
No mundo dos humanos continua tudo na mesma (confinados) mas, na natureza, sente-se o aproximar de um novo ciclo porque não há nada que trave a sua força soberana. Os dias já são maiores e a flores despontam aqui e ali. A minha estação preferida aproxima-se e a vontade de voltar ao trabalho cresce dia após dia. Suspiro por liberdade e sorrisos. Suspiro por voltar a fazer aquilo que me faz tão feliz. Se fosse um ano normal já estaria com a agenda cheia de batizados, primeiras (...)

45 anos de mim

17.02.21, Paula Veiga Claro
Aqui ando eu a sonhar desde 1976!! Já estou a ficar crescida mas continuo a ser aquela menina que adora agarrar nas suas asas e voar em direção ao que a faz feliz. A vida já me deu muitos abanões mas continuo a acreditar que posso mudar o mundo e que nada é impossível. Há quem diga que é loucura, outros teimosia mas eu chamo-lhe otimismo. E espero continuar assim por muitos e bons anos porque uma mulher só envelhece quando substitui os sonhos pelos lamentos! Nunca pensei (...)

Confinamento 2021

16.02.21, Paula Veiga Claro
Confesso que este confinamento está a ser bastante mais difícil de suportar que o anterior. Porquê? Porque já não há arco íris que nos iludam! Agora sabemos que não vai ficar tudo bem (muito pelo contrário) e que este vírus peçonhento não vai desaparecer da face da Terra tão depressa. A vacinação trouxe uma luz ao fundo do túnel mas as nossas vidas estão longe de voltarem a ser como eram. Na minha opinião, a única coisa que melhorou substancialmente neste confinamento (...)

Confinar (sem pirar)

15.01.21, Paula Veiga Claro
Para um espírito livre e sonhador como eu (sou aquariana e basta) a palavra confinar tem a força de uma mão que me estrangula. Não só pela falta de liberdade que o termo encerra em si mesmo, como pela paragem que exige a quem trabalha na minha área. Agora que a agenda de 2021 estava a ganhar forma, POW!! Tudo adiado outra vez. Sim, porque a fotografia é incompatível com o regime de teletrabalho. A fotografia só ganha forma onde se sente o pulsar da vida. A modos que nos últimos (...)

Hábitos cruéis

08.01.21, Paula Veiga Claro
Hoje aproveito este post para dar voz a quem não sabe falar. Sei que muitas pessoas, sobretudo as que vivem nos meios rurais, acham normal ter os cães acorrentados no quintal expostos a todo o tipo de condições climáticas. Sei que é assim e até conheço quem o faça. Nas longas caminhadas que faço pelo campo, bem os vejo a torrar no verão e a congelar no inverno e, quando pergunto porque é que não protegem os patudos das temperaturas extremas, até se deixam rir porque a (...)

A caminho de 2021

31.12.20, Paula Veiga Claro
Abraçar o verde que este ano ainda me foi mais útil! Sim, vocês já sabem que é no verde que me acalmo, reequilibro e revitalizo e, este ano, tive de me perder nele várias vezes para me voltar a encontrar. Não me vou despedir de 2020 (porque detesto despedidas) nem me vou alongar com reflexões e resoluções. Não tenho por hábito fazer esse tipo de análise no último dia do ano. Para mim todos os dias contam e não gosto de esperar por uma determinada data para recomeçar, (...)

BOM NATAL (com um momento de desabafo e reflexão)

23.12.20, Paula Veiga Claro
Podia ilustrar este post de Boas Festas com a típica foto fofinha de família, só que não! Após o massacre que se viveu na Azambuja (onde monstros humanos tiraram a vida a 540 veados e javalis) achei por bem ir buscar esta foto que tirei em novembro de 2016 na Tapada de Mafra. Uma foto que ilustra o momento em que nos cruzámos com uma família de veados e meia dúzia de javalis. O bebé veado saltitava por todo o lado, sob o olhar atento dos progenitores, e os javalis petiscavam (...)

O início de um novo ciclo

26.11.20, Paula Veiga Claro
De hoje a um mês faz 13 anos. Há quem me pergunte porque é que já não publico tantas fotos dela ou porque é que não aparece com frequência nas stories mas penso que é óbvio. A Rafaela está uma crescida e eu também estou a crescer enquanto mãe. Tive de aprender a controlar os meus instintos de progenitora babada porque os filhos crescem e precisam de espaço e privacidade. Sei que para quem nos segue desde o início é estranho, até porque o blog Angel Luzinha nasceu com a (...)

Acho que é melhor nem pensar....

11.11.20, Paula Veiga Claro
Vocês sabem que eu adoro ir ao baú. Hoje andei a esgravatar e descobri esta memória tão boa do nosso S. Martinho em 2013. Andávamos pelo meu Alentejo a apanhar nozes, castanhas e dióspiros. A Rafaela segurava o alguidar e por ali andava (sempre a esvoaçar) com este sorriso delicioso atrás de nós e dos avós. Lá no nosso campo temos estas maravilhas ao alcance da mão (um luxo!) mas aqui temos de rumar à mercearia/supermercado para satisfazer os vícios. Contudo, nos tempos em (...)

A arte de dizer NÃO

05.11.20, Paula Veiga Claro
As crianças são peritas na arte de dizer "não". Muitas ainda nem sabem pronunciar o seu próprio nome mas já entoam esta palavra com todas as letras (para desespero dos pais porque a fase do "não" é lixada! Eu que o diga!). Mas as crianças crescem, o vocabulário aumenta e o "não" passa a ter cada vez menos entoação. Só mais tarde, quando atingimos a maturidade, percebemos que nunca devíamos ter deixado de entoar esta palavra com a devida convicção. Porquê? Porque só (...)