Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

06
Jul15

Preocupações... momentos de descontração... e um local top

Na sexta feira viu-se livre do gesso mas chegámos a casa preocupados. O médico disse que possivelmente teria que ser operada porque o gesso não conseguiu corrigir o ângulo na totalidade. Estamos a estudar todas as hipóteses com a equipa médica do Hospital da Luz mas felizmente há uma alternativa que passa por dar tempo ao tempo, ou seja, se tivesse a minha idade não se safava da cirurgia mas como é uma criança tem a força da natureza do lado dela. Ficou com uma ligeira curvatura no pulso (quase imperceptível mas está lá). A cirurgia iria corrigir o ângulo rapidamente mas a natureza também o pode fazer, só que levará mais tempo. De qualquer forma, nós estamos mais inclinados para esta hipótese. A última coisa que quero é vê-la no bloco operatório. Teria que se sujeitar a uma anestesia geral e a tudo o que um pós operatório implica. Se fosse uma situação gritante não teríamos outra alternativa, mas como é uma  miúda super saudável estará como nova ao fim de um ano. Isto se não asneirar! Se, nos próximos tempo, tiver o azar de cair em cima daquele pulso estamos lixados (lagarto, lagarto!). Ela ouviu e percebeu que a palavra cuidado vai ter que ser uma constante este mês. Felizmente, apesar de ser uma miúda bastante enérgica, também é super conscienciosa. O médico disse-lhe que pode fazer a vida normal mas sem loucuras. Até agosto, nada de impactos, esforços, rodas, pinos, pesos, cambalhotas, bodyboard e mergulhos.

No meio disto tudo, olhou para nós lavada em lágrimas de preocupação e perguntou: "Se eu for operada vou ter que dormir no hospital?

"Sim, minha querida. Mas não te preocupes porque nunca ficarias sozinha. Eu e o papá estaríamos sempre, sempre, sempre ao teu lado".

"E a Amélie???"

"Ohhh meu amor, a Amélie ficava em casa. Ela ficava bem".

"Mas ficava lá sozinha?"

"Sim, ela safava-se ou então ia para a casa dos avós, não te preocupes".

A modos que começámos o fim de semana meio nervosos... mas lá fomos relaxando. Somos pessoas de pensamento positivo (para atrair boas energias!!). E ela? Ela estava desejosa de se ver livre do gesso mas a seguir sentiu-se desprotegida e estranha. "Que coisa esquisita! Parece que o braço não é meu!". Não se ajeitava a agarrar no garfo ou a prender o cabelo. Tudo perfeitamente normal, tendo em conta que esteve imobilizado um mês. No meio disto tudo, só me ocorre pedir às entidades divinas que todos os nossos problemas sejam sempre braços partidos. É nestas situações que uma pessoa pensa o que será daqueles pais cujos filhos vivem doenças dramáticas...

No sábado toca a proteger e a hidratar muito bem a pele (que estava uma lástima por causa do gesso) e vá de rumar à praia para chapinhar e soltar o espírito. No domingo misturei trabalho com lazer e fui conhecer o restaurante e o jardim do Museu do Traje onde vou fotografar um batizado em setembro. Não conhecia e adorei! Não pude tirar fotos ao restaurante porque estava a decorrer outro evento mas devo dizer-vos que o ambiente, a arquitetura e a envolvência são top. E os jardim? Maravilhoso! Aqui fica a dica para quem anda à procura de um local com pinta para este tipo de cerimónias. Locais inspiradores que parecem tirados de contos de fadas ;-)














Rafaela: Vestido Benetton (do ano passado) / sandálias Zara (nova coleção) / colar Shell da Terços da Lupinha (edição especial primavera-verão 2015) / chapéu Pontinhos / óculos de sol Pump (exclusivos nas lojas Well's)

Eu: Túnica Mo (nova coleção) / calções Zara (do ano passado) / alpercatas Paez (nova coleção) / mochila Claire's (nova coleção) / relógio Swatch (edição especial Dia da Mãe 2015)

Também nos podem seguir no Instagram e Facebook

3 comentários

Comentar post