Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

08
Mai20

O fim de um sonho.

Lumii_20200508_190834268.jpg

É com as lágrimas a pingar para o teclado que escrevo estas palavras. Não consigo parar de chorar. Perdi um pedaço de mim. Em 44 anos de vida nunca trabalhei num projeto onde me tivesse sentido tão realizada. Aqui fotografava, prestava assessoria à Direção e acompanhava as centenas de escolas e famílias que nos visitavam. Aqui, neste universo mágico, era verdadeiramente feliz! Não pelo dinheiro que ganhava porque o Museu das Crianças, sendo uma Associação sem fins lucrativos, debatia-se com inúmeras dificuldades, mas pela paixão que movia toda a equipa e se refletia no serviço extraordinário que prestávamos. Aliás, quem vive da arte e da cultura sabe que não é o dinheiro que nos move!

Aqui trabalhava-se com um profundo amor à camisola e esse amor era a nossa imagem de marca. Um amor que marcava o coração de todos aqueles que nos visitavam. Um amor que me fazia saltar da cama todos os dias com uma vontade gingante de arregaçar as mangas e fazer acontecer! Sentia-me profundamente grata por fazer parte de uma família assim. SIM, o Museu das Crianças era a minha segunda família. Era um sonho real do qual eu me orgulhava de fazer parte. Um sonho que, ao longo de 25 anos, encheu de magia milhares de crianças, escolas e famílias.

Um sonho que esta pandemia destruiu porque uma associação sem fins lucrativos também tem de pagar as suas contas. Aliás, a nossa querida Carlota Lancastre (Diretora do Museu) chegou a estar 6 meses sem ordenado para que nada faltasse à equipa nem aos fornecedores. Uma mulher com um coração do tamanho do mundo que tudo tem feito para aguentar este barco. E agora? Não há forma de manter as portas abertas e suportar os elevados custos fixos até finais de setembro quando as escolas abrirem (isto se entretanto não aparecer outra coisa qualquer...)

E assim termina um sonho com 25 anos de história.

De qualquer forma, tenho a certeza que a grande Margarida Lancastre, fundadora deste projeto ímpar em Portugal, está lá em cima, na sua estrelinha, orgulhosa de todos nós. Ela sempre disse que "Enquanto houver crianças, tem de existir um Museu das Crianças!". Ele continuará a existir nas memórias de todos nós.