Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

26
Mar20

Quinze dias depois...

Lumii_20200325_185731417.jpg

Fez ontem precisamente duas semanas que o Museu das Crianças fechou as portas para garantir a segurança da equipa e das centanas de crianças, escolas e famílias que nos visitam. Fez ontem duas semanas que a minha agenda passou de cheia a vazia. Nos primeiros dias senti-me tranquila por estar segura mas, ao mesmo tempo, absolutamente frustrada e revoltada porque este mês ía colher os frutos do que andei a semear desde janeiro... só que não!! De repente, POW! Tanto trabalho, tanto empenho, tudo por água abaixo. O mundo parou.

A frustração começou então a dar lugar ao tédio e à impotência. Sim, porque estou habituada a mover montanhas e, de repente, a única coisa que posso fazer é praticar o verbo permanecer. Parece uma missão simples mas, para quem gosta de agir e fazer acontecer (como eu) é uma missão hercúlea, acreditem! E a seguir veio o medo, esse monstro que tudo faz para nos dominar. E assim se passaram duas semanas.

Entretanto, já consegui controlar este turbilhão de emoções e travar a ansiedade (graças à yoga, à meditação e às caminhadas na serra) mas, o facto de não ver uma luz ao fundo do túnel, atormenta-me constantemente. São tantas as questões para as quais não tenho resposta. Sim, eu que sou perita em planear e em ter tudo certinho e direitinho, passei a não ter certeza de nada! De qualquer forma, não há mal que sempre dure nem bem que nunca acabe. Esta frase passou a ser o meu mantra. Agora, o mais importante é manter-me saudável e viver esta missão da melhor forma possível (mas sem perder o foco).

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

#staysafe #staycalm #staypositive #staystrong #juntosvamosconseguir

25
Mar20

Vou continuar a ser uma cidadã exemplar mas... não posso enlouquecer!

Lumii_20200321_193412773.jpg

Este silêncio. Este verde. Esta luz. Não há nada que me transmita mais paz. Por isso mesmo, foi aqui que me recolhi hoje de manhã para recuperar a minha preciosa sanidade mental. SIM, porque ontem à noite, depois de ver o noticiário tive uma crise de ansiedade como há muito não tinha. E sei que não fui a única, tendo em conta as dezenas de mensagens que vocês me enviaram em resposta às stories do instagram.

A verdade é que raramente vejo televisão (prefiro acompanhar tudo pela net) mas, nos últimos dias cometi um erro tremendo!! Comecei a ver os noticiários das 20h00 e a minha saúde ressentiu-se brutalmente. Ansiedade extrema, insónias, perda de apetite, dor de cabeça... Não pode ser, BASTA! Por isso mesmo, hoje estabeleci novas rotinas para não ir parar ao hospício quando isto tudo terminar. Sim, porque não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe. A modos que, vou continuar a acompanhar o que se passa no país e no mundo (até porque sou o tipo de pessoa que gosta de estar sempre informada) mas vou fazê-lo como sempre fiz, ou seja, online, junto das fontes que considero credíveis mas apenas num determinado momento do dia. Acabaram-se as notícias a toda à hora.

Vou continuar a ser uma cidadã exemplar, vou continuar focada em vencer esta guerra mas também não posso abdicar do exercício físico nem das minhas caminhadas pela serra porque, desta forma, estaria a abdicar da minha saúde mental. Aqui só me cruzo com o silêncio e é esta paz que me dá força para continuar a lutar. Estamos todos no mesmo barco, estamos todos focados em vencer mas, para o conseguirmos, também temos que arranjar estratégias para não dar em maluquinhos. Hoje a televisão desligou-se e voltou-se a respirar melhor aqui em casa.

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

#staysafe #staycalm #staypositive #staystrong #juntosvamosconseguir

20
Mar20

A Primavera chegou mas...

Lumii_20200320_125225117.jpg

A Primavera chegou e aqui estamos nós privados dos seus encantos. De qualquer forma, olhamos lá para fora e temos a certeza que, se continuarmos cá dentro, venceremos esta batalha. Somos soldados passivos mas a nossa passividade vai permitir que, os que estão na linha da frente, continuem em ação. Força aí pessoal! Se tudo na vida fosse fácil, não haveria aquela força chamada FÉ

#stayhome #staysafe #staycalm #staypositive #staystrong #juntosvamosconseguir

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

20
Mar20

Coronavírus e gravidez: O que as grávidas precisam de saber sobre o COVID-19

0.jpg

As mulheres grávidas ou em tratamento de fertilidade não parecem ser mais suscetíveis às consequências do coronavírus do que a população em geral e, segundo informação do Royal College of Obstetricians and Gynaecologists de Inglaterra, espera-se que a grande maioria das grávidas sofra apenas sintomas leves ou moderados do tipo resfriado ou gripe. No entanto, um aspeto sobre o qual muito pouco se fala é a ansiedade na saúde, o que esta sobregarca de informação, preocupação e medo, que todos nós sentimos quando existe um vírus sobre o qual pouco se sabe a percorrer o mundo, pode fazer. Esta ansiedade em relação à nossa saúde, à saúde dos outros e, em particular, no caso das grávidas em relação ao seu estado e ao seu bebé, é bem real e pode mesmo ser exacerbada se já viver num estado de stress ou ansiedade diários. Tudo isto vai sem dúvida afetar o sistema nervoso e, consequentemente, o sistema imunitário.

Por isso mesmo, tendo em conta que sou seguida por muitas mães (e que até tenho o privilégio de fotografar tantas barrigas de amor), aproveito para partilhar os esclarecimentos da querida Susana Lopes, com o intuito de ajudar as futuras mães a equilibrar o seu estado de incerteza e insegurança sobre o COVID-19, e os seus efeitos na gravidez. Susana Lopes é educadora pré-natal e professora de yoga. É fundadora do Programa Gravidez Sem Stress para ajudar as gestantes a melhor controlarem o stress do dia-a-dia e conectarem-se profundamente com o seu bebé, autora do livro Yoga e Maternidade, membro da APPPAH (Association for Prenatal and Perinatal Psychology and Health) e proprietária de um estúdio de yoga na Noruega.

Qual o efeito do coronavírus nas mulheres grávidas?
Há muitas perguntas sem resposta ainda sobre as alterações imunológicas que ocorrem à medida que a gravidez progride e a interação entre infeção, gravidez, placenta e feto. Segundo um estudo sobre Gravidez e Infeção publicado no New England Journal of Medicine, a evidência de que existe uma maior suscetibilidade das mulheres grávidas às infeções no geral é bastante fraca. Em relação ao COVID-19, os sintomas mais graves, como pneumonia, parecem ser mais comuns em pessoas mais velhas ou com sistema imunológico enfraquecido, e não existem relatos de mortes de mulheres grávidas por coronavírus. Pessoas com doença cardíaca ou pulmonar subjacente, como asma, são também parte do grupo de risco no caso de contraírem o coronavírus. Mas não esqueça que este é um vírus novo, por isso estamos todos a começar a aprender mais sobre ele.

Que efeito o coronavírus pode ter no bebé, caso a grávida seja diagnosticada com COVID-19?
Até ao momento não existem evidências de que o vírus possa passar para o bebé enquanto estiver grávida, portanto, é improvável que o mesmo possa causar qualquer anomalia no bebé. Alguns bebés nascidos de mulheres com sintomas de coronavírus na China nasceram prematuramente, mas não está esclarecido se isso aconteceu por causa do vírus ou por decisão médica. Não existem também evidências em como o coronavírus pode afetar a maneira de dar à luz. No entanto, se sua condição respiratória for afetada, pode ser necessário um parto urgente ou recomendado uma cesariana. O seu bebé pode também ser testado ao coronavírus no momento do nascimento.

O que posso fazer para reduzir o risco de contrair coronavírus?
Deve seguir todas as orientações da Organização Mundial da Saúde e do seu país. O mais importante é sem dúvida lavar as mãos com regularidade e eficácia, assim como praticar o distanciamento social. Se achar que pode estar infetada deve contactar o número nacional de assistência, o seu médico obstetra ou midwife.

Poderei estar pele com pele com o meu bebé e amamentar se houver suspeita ou confirmação de coronavírus?
Existem alguns relatos da China que indicam que as mulheres com coronavírus foram aconselhadas a separar-se do bebé por 14 dias. No entanto, isso pode ter efeitos negativos na ligação de ambos e na alimentação do bebé, por isso os riscos/benefícios devem ser considerados por si, pelo seu médico e pediatra, sendo cada caso um caso em particular. Até ao momento não existem evidências de que o vírus possa ser transmitido pelo leite materno, e os benefícios do leite materno são sobejamente conhecidos, por isso, deve seguir as indicações para superar qualquer risco de transmissão do coronavírus ao seu bebé, que nada tem a ver com o leite materno.

Como posso manter-me informada sobre o COVID-19 sem a ansiedade que afeta a minha gravidez?
Mais não é necessariamente melhor. Melhor qualidade sim. Converse com o seu médico, obtenha informações personalizadas para a sua situação específica e tome decisões em conformidade. Confie apenas em fontes credíveis e feche todos os outros canais de informação, incluindo pessoas que possam estar a aumentar a sua ansiedade.

Não estou assim tão preocupada mas não consigo parar de ler sobre isto, não se fala noutra coisa!
Isso é que deve evitar, quando nós não somos as autoras das nossas decisões e apenas reagimos ao mundo que nos rodeia, o nosso corpo começa a trabalhar em modo de sobrevivência. Isso não é bom para a nossa saúde, acumula stress e ansiedade, preocupação, irritabilidade ou frustração. Quando não estamos num estado reativo, nós escolhemos o que lemos, o que vemos, quando vemos, e o que pensamos sobre o assunto, somos levadas a escolher o que é mais confortável e seguro para o nosso corpo, para as nossas emoções, e para o nosso bebé. A gravidez ou a passagem por um tratamento de fertilidade é um estado de maior sensibilidade e deve ter isso em atenção.

Vou estar em casa, pelo menos, durante 2 semanas o que devo fazer?
Não esqueça que é uma mãe única e especial e merece que cuide bem de si. Seja gentil consigo, com seu corpo e com seu bebé. Diga a si mesma o quanto é especial. Dê a si e a seu bebé tempo para relaxar, para comunicarem e conectarem-se um com o outro. Leia um livro, sinta-se inspirada pela natureza ou apenas beba um bom chá. Mais importante que tudo é conduzir o seu corpo e as suas emoções. Parece conveniente receber mais informação neste momento? Ou precisa de alguns minutos ou horas para voltar a sentir-se segura no seu corpo e tranquila nas suas emoções? Vivemos num mundo tecnológico e existem muitas opções online que a podem ajudar a iniciar uma prática de yoga adaptada à gravidez, através de técnicas suaves de alongamento, respiração, relaxamento e meditação que vão ajudá-la a sentir-se mais calma, relaxada e impulsionar o seu sistema imunológico. Está cientificamente comprovado que o yoga ajuda a manter as células saudáveis e isso acontece porque o yoga ajuda a reduzir o stress físico, reduzindo também a inflamação em geral. Menos inflamação significa que seu corpo está a trabalhar e a defender-se da maneira que deveria ser. Não esqueça que temos ansiedade sobre a nossa saúde não por termos acesso a mais informação, mas sim por sentirmo-nos inseguros nos nossos corpos e no nosso ambiente. Restaure a segurança do seu corpo, oiça a sua voz interior e intuição materna, e será muito mais fácil tomar as decisões para manter-se a si, ao seu bebé e à sua família em segurança.

Obrigada Susana. Tenho a certeza que as tuas palavras vão ser úteis a quem está a passar por uma gravidez em tempo de "guerra".

#stayhome #staysafe #juntosvamosvencer

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

 

18
Mar20

Os soldados da humanidade

Lumii_20200316_001450654.jpg

Confesso que nos últimos dias tenho dado por mim a invejar a descontração desta bolinha de pelo. No seu mundo não se passa nada, nem há preocupações. Aliás, agora ainda vive mais feliz porque tem a matilha sempre em casa (só não percebe porque é que, de repente, ficámos todos tão caseiros!). SIM, que raio se passa com esta família que adorava andar na vadiagem? Estarão em prisão domiciliária? Pois é querida Amélie, o universo está a dar-nos uma lição e só espero que a humanidade aprenda alguma coisa com estes tempos tão difíceis. Sim, os homens são seres racionais mas, por vezes, não pensam nem agem como tal. Aliás, tu sabes como é! Já foste vítima de um ato cruel e irracional quando te amarraram pelo pescoço e te abandonaram dentro de água. Lutaste pela vida até que um anjo te acudiu. Neste momento é a humanidade que está em maus lençóis e os nossos anjos andam de bata branca. Sim, uma bata parecida com a da Drª Inês. Eu sei que esta comparação não faz qualquer sentido para ti, tendo em conta que foges dela como o diabo da cruz, mas é o melhor exemplo que te posso dar. Pois é querida Amélie, neste momento estamos a travar uma batalha e os nossos soldados também andam de bata branca. Temos que permanecer presos para que eles possam lutar. Só assim travaremos o inimigo e recuperaremos a nossa liberdade, compreendes? Mas fica descansada porque não é desta que vais usar fraldas! E também não vais fazer na areia como os gatos da vizinha. Não vale a pena ficares deprimida porque os bichinhos como tu estão autorizados a ir lá fora. Estás cheia de sorte, hein! (enfim, uma pessoa tem que rir para não chorar...)  

#stayhome #staysafe #beresponsible

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

18
Mar20

Coisas que a vida nos vai ensinando

IMG_20200311_150409_284.jpg

A maior parte das pessoas preocupa-se demasiado com o futuro quando, na verdade, se devia focar no presente. Porquê? Porque o presente é o único tempo que realmente nos pertence. De nada serve traçarmos grandes metas porque a vida dá muitas voltas e, de um momento para o outro, puxa-nos o tapete e deixa-nos KO. Por isso mesmo, se queremos evitar frustrações e desilusões, vale mais vivermos focados no presente e alimentarmos a nossa felicidade dia após dia. Como? Com gratidão, foco, disciplina e dedicação, mas também com uma grande dose de paciência e resiliência.

Isto para vos dizer que o mês de Março tinha tudo para ser um dos melhores meses do ano. Dei o meu máximo durante janeiro e fevereiro no Museu das Crianças (onde, para além da fotografia, também presto assessoria à Direção e acompanho as dezenas de escolas e famílias que nos visitam diariamente), tínhamos a agenda a rebentar pelas costuras, a equipa andava a mil, íamos receber centenas de crianças entre visitas de estudo e festas de aniversário e... de repente... POWW! Chega o covid-19 para virar do avesso o mundo, a sociedade e a economia.

Resumindo, faz hoje uma semana que estou em isolamento social voluntário devido ao plano de contingência. O Museu das Crianças foi das primeiras entidades a encerrar as suas portas para garantir a segurança da equipa e a de quem nos visita. Há uma semana houve quem comentasse comigo que era um exagero mas hoje, essas mesmas pessoas, já perceberam a tremenda gravidade da situação. Há sete dias Portugal confirmava 41 casos, hoje contabilizamos 642 e foi declarado o estado de emergência. O pais e o mundo estão em suspenso. Agora vive-se um dia de cada vez. Agora todos percebem que a vida se conjuga no presente porque o futuro, por mais que o perspetivemos, é sempre uma incógnita.

#stayhome #staysafe #beresponsible 

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube