Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Ser mãe é #30

26.09.14 | Paula Veiga Claro
Deitou-se exausta. Depois de um dia de aulas (que terminou no pavilhão com ginástica) ainda trouxe uma catrefada de trabalhos de casa. Vinha esgotada. "Mamãzinha, vamos já para casa! Doí-me a cabeça e estou cheia de sono! Quem me dera ser um cão para dormir o dia todo como a Amélie!".

Chegámos a casa e dei-lhe banho. A dor de cabeça passou-lhe e aninhou-se ao pé de mim no sofá. Queria jogar às cartas mas teve que trocar o sofá pela cadeira porque os TPC não se fazem sozinhos. Sentei-me ao pé dela e foi graças aos meus "beijinhos de energia" que conseguiu chegar ao fim da página. Chorou, apagou, praguejou e tornou a apagar. Ao sono juntou-se a fome... foi complicado... muito complicado... ao fim de uma hora (com muitos beijos de incentivo à mistura) lá conseguiu preencher a página de "is" e de "us" maiúsculos e minúsculos. 

No fim, restaram apenas quinze minutos para jogarmos às cartas antes de jantar. Das 17h00 às 20h00 é um tiro. Chorou novamente. Continua a dizer que agora já não tem tempo para brincar e estar comigo no miminho. Eu também sinto isso mas não lhe posso dizer porque tenho que lhe dar força. A vida é assim. Todas as crianças passam por isto. É por estas e por outras que só a coloquei este ano no 1º Ciclo, mesmo sabendo que podia ter entrado o ano passado (porque nasceu em dezembro). Tem imensa maturidade, quem a ouve falar dá-lhe mais idade (a sua filha parece uma mulherzinha, diz a professora e a auxiliar) mas é uma criança. Eu e o papá sempre quisemos que ela aproveitasse a fase de bebé e de menina pequenina ao máximo. 

Essa fase já lá vai. Agora, de um momento para o outro, começou a sentir o peso dos horários e das primeiras responsabilidades. Para além disso, como é muito perfecionista (tem a quem sair!) leva tudo muito a sério e sofre com coisas que nem têm importância. Está a crescer... o crescimento envolve muitas emoções mas só os anos nos dão a capacidade de as gerir. 


Ser mãe é dar-lhe colo agora e sempre...
porque o colo de uma mãe tem sempre poderes especiais 

AngelLuzinha

3 comentários

Comentar post