Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Mais uma

23.08.16 | Paula Veiga Claro
Tenho para mim que quanto mais coisas temos mais infelizes somos. Porquê, perguntam vocês? Porque as coisas em excesso complicam-nos a vida e desviam o espírito daquilo que é realmente importante. O marketing cria falsas necessidades e põe meio mundo atrás disto e daquilo como se a felicidade se conquistasse com o verbo comprar. Isto gera frustrações e espíritos fúteis que são incapazes de ver a felicidade onde ela realmente reside: nos momentos e naqueles que amamos.

A sociedade vive centrada nas coisas e são muitas as pessoas que vivem infelizes/frustradas só porque não conseguem ter uma mala igual à da amiga, um vestido igual à da blogger X ou Y, umas férias de sonho como as da vizinha do lado etc, etc, etc.

Isto para vos dizer que todos os dias remo contra esta maré consumista. Cada vez estou mais adepta do movimento destralhar/reciclar! Cada vez compro menos roupa/acessórios para mim e quando vejo algo que gosto pergunto-me: "Mas eu preciso realmente disto?"... a resposta é quase sempre NÃO e a coisa acaba por ficar na loja. Só me perco nos cremes, nos suplementos alimentares (para a pele, cabelo, unhas e afins) e em material fotográfico (cada vez que adquiro uma lente fico mais entusiasmada que um puto de volta da árvore de Natal!) e em roupa para a Rafaela mas isso é outra conversa porque a miúda cresce que se farta (mas até neste ponto estou mais controlada, ou seja, vou comprando à medida que vai precisando).

Contudo, sou mulher e também tenho os meus fraquinhos. Adoro namorar ténis, relógios e.... mochilas! Esta é da nova coleção da Stradivarius e já mora cá em casa :-)



E a Paula precisava de mais uma mochila? (perguntam vocês!)
Tenho três ou quatro (mais desportivas) mas precisava de uma simples, pequena e preta que desse para coordenar com quase tudo. Enfim, o verbo precisar é muito relativo :)

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

2 comentários

Comentar post