Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

A caminho das urgências...

25.07.13 | Paula Veiga Claro
Ontem à noite apanhei um dos maiores sustos da minha vida. É incrível como as crianças conseguem fazer asneira (da grande!) em escassos segundos. Ontem à noite, depois de jantar, a Rafaela estava na sala (sentada numa cadeira) a ver o canal Disney e eu estava no quarto a conversar com a minha mãe. Tudo na maior tranquilidade... nada fazia prever o que aconteceu. De repente ouvimos um grande estrondo e o meu sangue gelou-se nas veias. Voei até à sala e deparei-me com a Rafaela debaixo da cadeira, estatelada no chão a chorar e lavada em sangue. Tirei-lhe a cadeira de cima (daquelas grandes e pesadas com estofos em pele) e enlouqueci quando percebi que tinha o queixo completamente aberto. Por momentos fiquei histérica, cega, desnorteada, gritei, senti um nó na garganta.... perdi o norte por completo. As minhas pernas tremiam, as minhas mãos não sabiam o que agarrar e o meu coração parecia querer saltar do peito com a camada de nervos que se apoderou de mim. A minha mãe só me dizia para eu ter calma enquanto colocava um lenço no queixo da neta que estava assustada mas já não chorava e agia de forma bastante controlada (ao contrário de mim que estava histérica e só pensava no pior! pensava que ela tinha partido mais alguma coisa para além do queixo!). Foi à casa de banho, lavou as mãozinhas cheias de sangue enquanto nos explicava como tinha caído da cadeira. E ali ficou a segurar o lenço à volta do queixo enquanto eu agarrei nas coisas para voarmos até ao hospital (que felizmente fica mesmo ao pé de casa).

Chegámos às urgências do Hospital de Portalegre, foi reencaminhada de imediato para o bloco operatório e ali ficou estendida na maca enquanto eu lhe segurava a mãozinha e as médicas que lhe cosiam o queixo. Nessa altura já eu estava mais calma mas sentia o coração do tamanho de uma ervilha e desejei milhões de vezes ser eu a levar os pontos e não ela. As médicas foram 5 estrelas e a bicharoca fofinha surpreendeu todos com a sua calma. Nunca pensei, a sério! ela que faz um escarcéu quando arranca uma simples pele à volta das unhas, portou-se lindamente com o queixo aberto quase de uma ponta à outra! Nunca chorou (só se queixou no momento em que lhe deram a anestesia) manteve uma calma surpreendente e colaborou a 100%.

No fim, saiu do bloco operatório com 5 lacinhos azuis no queixo, um penso e um diploma de bom comportamento e coragem. Em seguida rumámos à farmácia, aviámos a receita e fomos para casa. E telefonei ao papá que está sozinho em Lisboa e ficou numa preocupação imensa. Amanhã já estaremos junto dele. Hoje continuamos aqui na casa dos meus pais nesta estadia pelo Alentejo onde julguei combinar da melhor forma trabalho e lazer. Tudo tem corrido lindamente, até já fomos à piscina... tudo perfeito, até isto acontecer. 

Hoje quando acordou ficou triste ao ver-se ao espelho "Que horror mamã! com este penso parece que tenho barba!" e não gostou de perceber que não consegue abrir muito a boca nem fazer as palhaçadas do costume por causa dos pontos.... mas já estava pronta para ir para o parque infantil trepar para todo o lado! Não acho normal! PASSEI-ME! esta criatura para além de não conseguir estar sossegada um minuto, ainda quer espetar comigo num manicómio! quase que se mata sentada numa cadeira (sentada! é surreal!) e horas depois já quer andar a trepar!?... de manhã fomos ao jardim sim, mas sem baloiços e acrobacias pelo meio.

Amanhã regressamos as duas a Lisboa e já sei que não vai ser fácil manter esta criatura entretida sem idas à praia, piscina e loucuras afins... vai ser lindo, vai vai... daqui a uns dias não se admirem de me ver internada no hospício mais próximo... coisinha mais linda e reguila da sua mamã 














AngelLuzinha no facebook aqui

18 comentários

Comentar post

Pág. 1/2