Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Pensamento do dia

10.06.18 | Paula Veiga Claro

frase_blog.jpg

 

Aqui está a explicação!!! O que eu me ri hoje de manhã quando os meus olhos se cruzaram com esta frase em vários feeds das redes sociais. Depois de um verão interminável, o que é que nós queríamos? Só sei que em outubro do ano passado escrevi este post e que agora já estou aqui a suspirar pelo contrário. É ou não é? 

 

As estações do ano são uma das principais fontes de inspiração para quem trabalha na minha área.Todas elas têm um encanto muito peculiar e há sessões que só fazem sentido em determinadas alturas do ano. Porquê? Porque as estações são a moldura que completa cada clique, são o cenário perfeito para eternizar as várias fases da vida, sobretudo para os fotógrafos que têm na natureza o seu estúdio de eleição. Cada uma é ímpar e faz-nos falta em igual proporção. Eu, por exemplo, sou apaixonada pela luz ténue e dourada do outono, mas também vibro com a luz cristalina que se gera nos dias gelados e soalheiros de inverno. E o desabrochar estonteante da primavera? Essa estação que nos desperta os sentidos e nos salpica de cor! E os sunsets tórridos de verão que convidam a olhares demorados? Enfim, cada estação exerce uma influência brutal no nosso trabalho e no nosso estado de espírito MAS, quando uma delas se alonga em demasia, POWWW! Gera-se um desequilíbrio coletivo e a malta começa a andar mais rabugenta, sobretudo se a estação em questão for a mais fria e cinzenta, aquela que nos mergulha numa dormência inquietante. Neste momento já andamos todos com os níveis de serotonina e melatonina muito aquém do desejado. Precisamos urgentemente daqueles dias luminosos que nos fazem borbulhar. As aulas estão a terminar, as férias estão a chegar e a nossa mente já vai a esvoaçar lá à frente. E o corpo? Esse continua preso às mangas compridas e delas não se consegue livrar.

 

Não vale a pena suspirar porque o verão há-de chegar... e daqui a uns tempos, quando ele apertar, vamos voltar a suspirar para ele abrandar. Pois é querida natureza, não é fácil partilhar o mundo com um ser tão bipolar! Um ser que tanto tem feito para te desequilibrar. Fica a saudade dos tempos em que cada estação ocupava o seu devido lugar.

 

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube