Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Cenas queridas que se veem cá em casa #15

08.02.18 | Paula Veiga Claro

Angel Luzinha Fotografia-6143_BLOG.jpg

 

Todos os dias às 17h00 lá vou eu a caminho da escola buscar a Rafaela. Vou e levo sempre comigo a Amélie que faz uma festa cada vez que vê a "mana". Aliás, assim que o relógio se aproxima dessa hora, a raposinha sai da casota e entra numa ansiedade tremenda à espera que eu diga as palavras mágicas "Vamos buscar a Rafaela, vamos?". Nesse instante põe as orelhas no ar e desata aos pulos de volta das minhas pernas. Enfim, quem tem patudos sabe como é! Conhecem perfeitamente as nossas rotinas e só lhes falta falar. A modos que ontem, não consegui conter uma gargalhada quando vejo a Rafaela chegar ao pé de nós com uma máscara de cão. "Gostas mamã? Fiz na aula de Expressão Plástica! Podíamos escolher um animal e eu escolhi o cão. Gostas Amélie, gostas? Agora também sou um cão!"

 

E entrou para o carro a ladrar e a uivar (é tão doida! Quem viu o vídeo no stories?) enquanto a Amélie se aninhava desconfiada no seu colo. SIM, a raposinha não achou piada e desatou a rosnar como quem diz "Mas que raio é isto? Agora tenho concorrência? A minha dona virou cão??". E quanto mais a Rafaela ladrava mais a Amélie rosnava. Enfim, uma cena de morrer a rir! Felizmente lá se acalmou e, quando chegámos a casa, percebeu que a dona não ia ficar assim para sempre (uuuufa, que alívio!)

 

O ar dela! Raposa mais querida 

 

Angel Luzinha Fotografia-6144_BLOG.jpg

Angel Luzinha Fotografia-6146_BLOG.jpg

Angel Luzinha Fotografia-6156_BLOG.jpg

#collectmomentsnotthings

 

 Também nos podem seguir no InstagramFacebookYouTube

Conselhos de uma mãe que só quer o teu bem

07.02.18 | Paula Veiga Claro

Angel Luzinha Fotografia-2318_BLOG.jpg

 

Sorri para a vida com determinação e nunca confies demasiado em ninguém, a não ser em ti mesma. Porquê? Porque desta forma evitarás o sabor amargo da desilusão. Não quero que vivas de pé atrás, não quero fazer de ti uma desconfiada mas quero que cresças de olhos abertos porque o ser humano é traiçoeiro e quem nasce com um coração de ouro como o teu, acaba por sentir na alma (mais tarde ou mais cedo!) esse punhal acutilante. Por isso mesmo, vou-te alertando para que comeces a construir o teu escudo, aquele que te vai proteger do impacto de certos golpes.

 

Também nos podem seguir no InstagramFacebook e YouTube

 

Monstros reais #7

06.02.18 | Paula Veiga Claro

Angel Luzinha Fotografia-230217_blog.jpg

 

Não permitam que a moda, o consumo, as amigas, as redes sociais e este mundo estupidamente material vos lance numa espiral de insatisfação só porque não vão de férias para as ilhas X ou porque não têm a mala Y. Deixem de se lamentar por tudo e por nada. Não permitam que as futilidades da vida vos ceguem e vos impeçam de usufruir do que é realmente importante. Deixem de pensar no que gostavam de ter e aprendam a dar valor ao que têm. Deixem de criticar a vida de A ou B e centrem-se na vossa porque só assim serão felizes. Deixem as aparências e entreguem-se à essência. Centrem-se no presente e desfrutem-no ao máximo porque é o único tempo verbal que nos pertence. Suguem a vida até ao tutano. Cubram de mimos quem mais amam. Abram as janelas e abracem cada dia com gratidão. Deixem a luz entrar e lambuzem-se na sua áurea. Porquê? Porque não sabemos o que o dia de amanhã nos reserva. Só sabemos que tudo tem um fim e que a nossa vida pode descambar a qualquer momento. Esta fragilidade inquieta-me, sufoca-me, aterroriza-me. 

 

Isto para vos dizer que tinha planeado escrever outro post mas as circunstâncias tiraram-me o fôlego para falar de coisas bonitas. Não consigo deixar de pensar na filha de uma amiga minha que não conseguiu vencer a batalha contra a leucemia. Tinha apenas 12 anos. Que porra de doença esta! Que monstro este que tantas vidas ceifa! Que dor, que revolta... a lei da vida não devia permitir uma coisa destas... jamais.

 

Novo vídeo no YouTube: Ainda gostas de mim?

04.02.18 | Paula Veiga Claro

Angel Luzinha Fotografia-BLOG.jpg

 

Recordam-se? O ano passado inscrevi-a na Biblioteca Municipal e foi das melhores coisas que fiz porque ela adora ler mas o espaço cá em casa já escasseia. Assim, tem leitura nova todas as semanas e eu não tenho que me preocupar onde guardar mais livros (sim, porque uma pessoa chega a um ponto em que já não consegue fazer mais milagres em termos de arrumação). Na semana passada fomos requisitar mais duas obras para este trabalho e, pelo meio, apaixonou-se pelo livro que vos mostra no vídeo de hoje. Uma história que faz as delícias de qualquer criança e sobretudo dos avós porque passa uma mensagem tão querida, pertinente e real. E as ilustrações? São um AMOR!! Quem é que não gostava de ter uma família de corujinhas assim em casa? Enfim, este é daqueles que vai dar pena devolver :(

Pág. 2/2