Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Ser mãe é #38

18.01.18 | Paula Veiga Claro

Nunca fui pessoa de deixar para amanhã o que posso fazer hoje. Por um lado é bom porque desta forma tenho sempre a vida em dia mas por outro é mau porque não sou capaz de desligar e dizer "Que se lixe! Fica para amanhã porque hoje vou mas é ficar de papo para o ar!". Assim dou por mim sempre ligada à corrente e sem dias totalmente em branco porque há sempre qualquer coisa para fazer MAS é o melhor método porque não há nada pior que viver no caos do deixa andar e acumular tarefas para uma véspera qualquer. Isto para vos dizer que tenho feito das tripas coração para passar este lema à Rafaela MAS não tem sido fácil porque ela é das que gosta de deixar as coisas chatas ou demoradas para o dia seguinte. Ela e a maior parte dos miúdos! Sim, porque ao falar com outras mães percebo que este é um denominar comum (apesar de eu nunca ter sido assim, nem em criança!).

E depois? Chama-me chata e diz para eu relaxar porque amanhã também é dia. 

E eu? Fico a ferver e digo-lhe que tenho que ser chata porque penso no bem dela e prezo a minha sanidade mental! Sim, porque depois quem se lixa com as calmas dela sou eu (sobra sempre para as mães!). A modos que tem um projeto de história que consiste na elaboração de várias fichas (sobre uma personagem, guerra, terra, viagem ou acontecimento importante) para desenvolver e entregar até junho deste ano. O objetivo deste projeto é dotar os alunos com mais ferramentas de trabalho, organização e estudo de forma a desenvolver competências futuras. Não se pretende que seja um trabalho exaustivo, mas simples e organizado para que desenvolvam simultaneamente a capacidade de pesquisa, seleção e síntese. Por fim, devem ilustrar cada ficha com um desenho, recorte ou fotografia.

Estão a ver, não estão? Primeiro escolhe o tema que quer desenvolver (um tema por página), a seguir mergulha na pesquisa para filtrar a informação que achar pertinente, organiza ideias, sintetiza, escreve o texto e ilustra. Não é algo que se faça de um dia para o outro mas ela chegou-me a casa super descontraída porque "É só para entregar em junho, ainda falta muito tempo!" mas aqui a chata tratou logo de lhe dar corda porque vale mais ir fazendo do que andar em stress na véspera. Prometeu-me que ia meter mãos à obra no início deste mês e assim foi. Tratei de ir com ela à Biblioteca Municipal para requisitar uma série de livros (tem que ter por base uma bibliografia diversificada) e, entretanto, já saíram duas fichas do forno. A primeira dedicou-a ao Templo Romano de Évora (vulgo Templo de Diana) e a segunda ao primeiro rei de Portugal. Aliás, quem nos segue nos stories viu o momento em que ela deu à luz o D. Afonso Henriques mais fofinho de sempre ;)

"Está mesmo querido não está mamã?! Já imaginaste se ele tivesse sido assim na vida real? Era mesmo querido, não era?".

E assim se diverte e aprende uma criança. E assim se vai interiorizando que Roma e Pavia não se fizeram num dia. Há que semear com calma, paciência, empenho e organização porque só assim se colhem os melhores frutos. E sim, as mães serão sempre chatas.

Também nos podem seguir no  Instagram Facebook YouTube