Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe.

Ter | 30.06.15

Monstros reais #4

Paula Veiga Claro
Nem tenho tido tempo para ver as notícias como deve ser e só hoje é que os meus olhos se depararam com esta barbaridade que ocorreu na semana passada. É por estas e por outras que costumo dizer que quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos animais. Já viram isto? Acham normal? O vídeo mostra a "Queima do Gato", uma prática que consiste em colocar um gato no cimo de um poste dentro de um pote de barro, que por sua vez os populares colocam a arder. O fogo vai subindo o poste e acaba por chegar ao pote, que cai no chão e se parte sobre as chamas, deixando o pobre animal a arder. No fim, é ver o bichano em pleno sofrimento a correr e a miar envolto em chamas. Acham normal??? Mas que raio de tradição é esta que se pratica em Mourão, Vila Flor? Ainda vivem na época medieval? Sugiro que façam o mesmo a todos os imbecis que fizeram e assistiram impávidos e serenos a esta barbaridade. Deviam ser todos pendurados num poste e zás! Tudo a arder! Era giro não era? Aposto que iam adorar a experiência! Quem faz uma coisas destas não merece o ar que respira. Como é que alguém, em pleno séc XXI, pode assistir a uma coisa destas como se estivesse a ver fogo de artificio? Como é que alguém pode sentir prazer no sofrimento alheio?

Os animais agem por instinto mas os seres humanos sabem o que fazem. É por isso que somos animais racionais. O ser humano é o único ser vivo que tem a capacidade de se colocar no lugar do outro e refletir. Posto isto pergunto: A gentalha que fez e assistiu a esta tristeza gostava de estar na pele do gato? O que é que sentem quando queimam um dedo no fogão ou no ferro de engomar? Gostam? É divertido? Sentem prazer? Agora imaginem os vossos belos corpinhos a serem devorados pelas chamas em praça pública? Era um espetáculo, não era? Dava vontade de rir, não dava?

Só espero que estes selvagens sejam penalizados e que esta tradição tenha os dias contados porque é uma vergonha nacional. Eu gostava de acreditar que o mundo não está perdido, juro que gostava, mas cada vez que vejo as notícias perco a esperança na humanidade. Um dia o homem vai acabar por se destruir a si mesmo. Não tenho dúvidas. Só espero que eu já cá não esteja quando isso ocorrer. 


Sábias palavras de Albert Einstein...

AngelLuzinha
Seg | 29.06.15

Há dias assim... non stop!

Paula Veiga Claro
Quem nos segue no instagram já sabe que este sábado foi de loucos! Um sábado entre trabalho e lazer sempre em contra relógio debaixo de um calor dos diabos. Um sábado em que o Parque Eduardo VII serviu de palco para a Festa Continente que já estava super animada quando lá chegámos às 10h30 da manhã. O ambiente prometia mas às 12h30 tivémos que ir embora porque a Rafaela já não aguentava as comichões que o gesso lhe dava com o calor. Ainda se refrescou no espaço Well's (nota 20 para os fraldários que havia neste stand e que tanto jeito deram às mães de bebés) mas não quis participar nas atividades. O desconforto do gesso sobrepôs-se à vontade de brincar. Ai ficou sentada a beber água e a abanar o braço com uma folha de papel. Tadinha, parecia uma velhota! Enfim, estou de-se-jo-sa que chegue a consulta da próxima sexta feira para ver se é desta que se vê livre deste tormento. Desejosa de a ver com o bracinho bom para dar os seus mergulhos e aproveitar o verão ao máximo... 

Felizmente havia bichos e esses conseguem sempre arrancar-lhe um sorriso! Coelhos (liiiiindos pareciam tirados do filme da Alice no País das Maravilhas!), vacas, cabras, ovelhas, perus, galinhas e uma série de pintainhos que davam a volta à cabeça da criançada (ela perguntou logo se estavam à venda e se eram muito caros porque já queria trazer um ... era o que faltava!). Em suma, uma manhã no meio do campo em pleno coração de Lisboa.

Mas o dia ainda era uma criança. Depois de almoço fomos para a festa de aniversário da prima Joaninha e às 17h30 tive que deixar os meus amores porque é nos fins de semana, ao final do dia, que fotografo a maior parte das famílias que me contacta. Fiz-me à estrada para fotografar um casal de noivos. Transpiravam cumplicidade e felicidade. Só sei que me fizeram recuar no tempo e soltar umas boas gargalhadas! Um casal super cool, cheio de pinta e boas energias a quem desejo as maiores felicidades do mundo (em breve levanto o véu e mostro um pouco da sessão).

No fim, depois de uma hora enfiada no trânsito (metade de Lisboa regressava da praia, pois claro!) ainda cheguei a tempo de cantar os parabéns à Joaninha. Eram 21h00. A festa ainda estava ao rubro mas aqui a mamã só sonhava em tomar banho e enfiar-se na cama. Há dias assim mas sabe tão bem chegar ao fim com a sensação de missão cumprida ;-)













Rafaela: Chapéu Pontinhos (nova coleção) / camisola e calções JôKids Design (nova coleção) / sandálias Zara (nova coleção) / mochila Accessorize (antiga) /
óculos de sol Pump (exclusivos nas lojas Well's)


AngelLuzinha
Qui | 25.06.15

1 ano de Amélie

Paula Veiga Claro
Fez ontem um ano que te fomos buscar aqui. Fez ontem um ano que te abrimos as portas da nossa casa e do nosso coração. Tu entraste timidamente mas rapidamente te enturmaste nesta família de malucos. Agora compreendo porque é que algumas pessoas dizem que um lar só está completo quando se tem um cão! Soava-me a disparate mas agora sou a primeira a concordar. Agora percebo tudo aquilo que me diziam sobre o amor incondicional que têm pelos donos. Chega a arrepiar de tão genuíno que é.

És minúscula em tamanho mas gigante em fofura, energia e boa disposição. És uma ternura com os donos mas não permites que mais ninguém chegue ao pé de ti. Infelizmente já sabes como os seres humanos conseguem ser estúpidos, irracionais e cruéis. O teu passado de sofrimento e abandono marcou-te para sempre. Vais esbanjando o teu charme por onde passas, toda a gente te quer fazer festinhas mas tu refilas sem hesitar. Não tens culpa de ser um "peluche" que apetece esborrachar! As crianças bem te tentam agarrar mas tu só dás carta branca à Rafaela (que te chama irmã e faz de ti gato sapato!).

Somos o teu porto seguro. Adoras colo, mimos e atenção. Adoras brincar com as tuas bolinhas e correr desalmadamente. Adoras liberdade e ar puro como nós! Por isso vais connosco para todo o lado e quando não podes ir ficas a guardar a casa com o ar mais infeliz do mundo. E nós ficamos a pensar em ti porque fazes parte da família e adoramos a tua companhia (mas já sabes que os bicharocos não podem entrar em certos sítios). E mesmo assim não te podes queixar porque até para o shopping vais comigo! São as vantagens de se caber numa mala ;-)

Adoras frango, cenouras, maçãs, melancia e toda a espécie de frutas e leguminosas. Cada vez que nos sentamos à mesa lá vens tu mendigar umas migalhas. És uma patusca! 

Detestas tomar banho, ir à veterinária e tratar da manicure na loja da Marta. Também ficas de péssimo humor quando ouves alguém bater à porta. O pobre carteiro é sempre recebido com o teu pior sorriso! Devias ter vergonha porque o homem não faz mal a ninguém mas tu insistes em fazer aquele escabeche.

Mas também tenho que te agradecer porque graças a ti deixei de ver micróbios em todo o lado! Tens sido uma espécie de terapia. Sabes que tenho a mania das limpezas e arrumações mas tu fizeste-me perceber que podemos conviver lindamente na mesma casa (com regras, pois claro!). Já sabes que não te quero no meu quarto nem perto das camas. Também não te safas do belo do banho de três em três semanas nem do milagroso advantix que te mantém isenta de bicharada. Linda, protegida e cheirosa, como se quer.

Enfim, já não imaginamos esta casa sem a tua presença tão doce, brincalhona, refilona e barulhenta! Bendito o dia em que entraste nas nossas vidas querida Amélie.


P.S- A única parte chata é fazer 245 km para te deixar no Alentejo com os avós quando vamos de férias (morro de saudades!) e ir contigo à rua antes de me deitar (naquelas noites geladas custa mesmo!). Custa mas faz parte. Não há amor que não dê "trabalho" ;-)





AngelLuzinha
Qui | 25.06.15

Love my work

Paula Veiga Claro
A sentir-me babada ao ver mais uma foto da minha autoria numa revista de moda infantil. Desta vez na edição de Junho da Moda KidsParabéns JôKids Design e obrigada pela confiança e carinho que depositam no meu trabalho. É uma honra contribuir para o vosso sucesso.


O mérito também é desta miúda que não se aguenta de querida! Parabéns Emily, aqui vai uma super beijoca nessas bochechas que apetece esborrachar 


AngelLuzinha

Qua | 24.06.15

Mais um episódio da Fada dos Animais...

Paula Veiga Claro
Apanhou a senhora da peixaria distraída, fez um buraquinho na rede e salvou um caracol. Eu observava-a de longe e optei por não dizer nada porque já sei que não vale a pena. Ela é mesmo assim, doida pela bicharada. Chegou ao pé de mim radiante. Abriu a mão e mostrou-me o caracol que tinha resgatado. Os olhos brilhavam-lhe como se tivesse acabado de salvar o mundo. Quando chegámos à caixa senti-me na obrigação de dizer à senhora que ela levava um caracol, não fossem pensar que ela tinha roubado alguma coisa pois andava ali de mão fechada com um sorriso de vitória e felicidade. Mas uma despachada como ela não se atrapalhou e começou logo com o seu discurso ao estilo Green Peace. "A senhora já viu como é que eles estão? Coitadinhos! Estão todos ao monte dentro das redes! Muitos até já têm a casca partida! As pessoas têm tantas coisas para comer, porque é que precisam de comer caracóis?  É um crime meterem os bichinhos vivos na panela! Nunca se deve fazer aos outros aquilo que não gostamos que nos façam a nós! Este pelo menos vai ser feliz!". 

A modos que lá adotei o bicho. Deu-lhe o nome de Veloz Rodinhas e tem sido tratado como um rei. Arranjou-lhe um T0 onde vai colocando fruta e alface, canta-lhe, passeia-o e nunca o perde de vista. E ele? Passa a vida a subir pela caixa e a comer melancia. Tenho para mim que se safou do caldeirão mas não se safa de uma overdose...

O pior é que já me anda com esta conversa: "Para a próxima temos que comprar todos os sacos de caracóis que estão no supermercado, pode ser? A seguir vamos até Monsanto e libertamos todos, o.k? É a única forma de os salvar!".

Enfim... haja paciência... já estou a imaginar o filme... não vai ser fácil tirar-lhe esta ideia da cabeça... mas também já fui criança e sei que todos nós nascemos com a ideia de salvar o mundo... só mais tarde é que percebemos que já está perdido...










AngelLuzinha
Seg | 22.06.15

Os dias felizes e o grande desgosto...

Paula Veiga Claro
De regresso ao trabalho e ao meu querido blog. Desde quarta feira que não blogava e já estava a morrer de saudades porque só eu sei o quanto gosto de estar aqui sossegada neste cantinho tão meu. Escrever e fotografar são a minha segunda respiração. Se estou alguns dias sem o fazer começo a agonizar! Mas a semana foi de férias e também me soube bem abrandar o ritmo. Mimei a família, passeámos, conheci e fotografei o segundo filhote da minha melhor amiga (momento mágico! foi delicioso! em breve partilho algumas fotos da sessão aqui no blog) mas não consegui descansar como queria. Porquê?? Porque uma mãe não consegue relaxar com uma filha sempre aos pulos de braço ao peito. É impossível! Uma pessoa tenta mas não dá para desligar porque ora aprecem umas escadas, ora vê um baloiço e teima que consegue andar só com uma mão, ora quer subir às árvores para ajudar a colher figos, ora acha que não precisa de ajuda porque já não é bebé e sabe o que faz... enfim, nem preciso de dizer mais nada! Um desassossego constante! Se a vejo livre do gesso e com o braço em condições digo que é mentira...

Passámos a semana em Portalegre mas na quarta feira fomos matar saudades da nossa casa de campo onde o silêncio só é quebrado pela voz da Rafaela que corre logo ao segundo andar (escadas! mais uma arrelia!) para ir buscar o regador. Desta vez não pôde tomar banho aqui mas atirou-se às atividades agrícolas. Nem o calor a demoveu!







Melhor que um regador só mesmo um pau e um balde para fazer sopas!




O corpo pede sombra mas a vontade de brincar é superior a tudo. Quem aproveitou foi a Amélie que dormiu uma bela sesta à sombra da oliveira enquanto a dona se esfalfava a regar o quintal.



Bora apanhar maçãs?!!? Nem pensar! Não te quero em cima do escadote (mais uma arrelia!)...




A mais velha aos pulos e a mais nova a rebolar-se no pasto. Liberdade, descontração e ar puro. A trilogia perfeita para triplicar a energia destas duas :-)






A proteger a Amélie dos olhares ameaçadores dos gatos da prima. Ficaram todos ouriçados quando nos viram mas a Fada não baixou a guarda e conseguiu manter o bom ambiente entre a bicharada. Esta miúda tem que ir para veterinária, só pode!





Lindo mas muito senhor do seu território, como qualquer gato que se preze ;-)




Querida, querida, querida com estes tótós meio amalucados! Prendi-lhe o cabelo desta forma para ficar mais fresca e adorou ;-)




Para finalizar temos a cereja no topo do bolo! Estava eu a arrumar as coisas para seguirmos para Portalegre quando a ouço aos gritos "Mamã, mamã! Anda cá depressa! Anda cá ver! Fui à horta com a avó e salvei este cágado bebé! Estava pedido num monte de palha! Está cego de um olho e precisa de água rapidamente!"

Oh my God!!!... estou lixada (pensei eu!). Da última vez que cá estivemos encontrou este passarinho e foi um drama porque o bicho morreu no dia seguinte. Agora arranja-me um cágado! Minha Nossa Senhora! Disse-lhe logo que não queria o bicho em casa porque crescem imenso e o cheiro não se aguenta. Aliás, ela sabe porque já tivemos uma tartaruga que acabou num lago porque estava gigante e mordia. Ouviu-me, aceitou mas sempre com esperanças que eu mudasse de ideias. Deu-lhe o nome de Jacarandá (porque é lindo como essas árvores, calculem!) e no regresso a Portalegre começou com a lenga lenga do costume "mas eu podia ficar com ele só uma noite e tal e depois logo o deitava para um lago e tal".

Enfim, tive que fazer o papel de má da fita porque já sei o que a casa gasta. Fiz-lhe ver (mais uma vez!) que ele ia ser muito mais feliz num lago do que num aquário. E assim foi. Quando chegámos a Portalegre deixou-o aqui lavada em lágrimas. Custou-me imenso vê-la assim mas teve que ser. Só espero que a vida lhe sorria e que um dia concretize o seu grande sonho. Só dessa forma poderá viver rodeada dos bichos que quiser 




Rafaela: Túnica H&M / calções Pé de Roupa / Colar Terços da Lupinha / sapatilhas Converse All Star

AngelLuzinha
Qua | 17.06.15

Ser chata também é sinónimo de ser mãe...

Paula Veiga Claro
Ontem 15 graus. Hoje 28. O tempo anda maluco e tu também! Não está a ser fácil manter a tua energia atómica em slow motion. Sei que tenho sido a chata de serviço mas é para o teu bem porque se vais ao chão de braço ao peito é que são elas! Também sei que a tua energia triplica quando chegas ao Alentejo porque és criança e queres beber ao máximo a companhia dos avós. Tens sede destes momentos e praguejas contra a distância geográfica que te impede de os abraçar com mais regularidade. Eu sinto o mesmo. Tu és neta e eu sou filha... mas a vida é assim. É feita de opções e não há equações perfeitas. Não se pode ter tudo mas pode aproveitar-se cada momento até à última gota e com juízo (aquela palavra agridoce no dicionário de qualquer criança!)

Sei que adoras vir à terra da mamã, sei que precisas de correr e trepar para todo o lado para exorcizar a energia que te corre nas veias... essa energia que herdaste de mim (por isso te compreendo como ninguém!) mas tens que fazer um esforço para te controlar porque ainda espetas comigo num hospício! Sei que pareço um disco riscado, mas quando fores mãe vais perceber que as mães têm mesmo que ser chatas... caso contrário não seriam mães.









Vestido La Redoute (nova coleção) / Sandálias Zara (nova coleção) / Colar Terços da Lupinha 

AngelLuzinha
Sab | 13.06.15

Alentejo aqui vamos nós!

Paula Veiga Claro
Parece que ainda ontem entrou no primeiro ciclo. Um ano cheio de novidades para ela e para nós. Um ano que chega ao fim com bons resultados, novos amigos e uma série de coisas que nunca mais irá esquecer. Agora é tempo de trocar os livros pelas brincadeiras. Agora é tempo de acordar tarde, ficar na cama no miminho, correr, pular e ser criança. Agora é tempo de aproveitar as férias ao máximo, mesmo de braço ao peito! Para começar rumamos até Portalegre. É por lá que vamos andar na próxima semana. Quando a saudade aperta temos que nos fazer à estrada para abraçar aqueles que mais amamos. Passei o último mês de volta da minha agenda para conseguir meter estes dias de férias. Dias que me vão saber a ginjas longe do rebuliço em que tenho andado. Quando a vida acelera temos que a abrandar para a conseguir saborear.... e é isso que vou fazer até à próxima sexta feira (dia em que regressamos à base porque a Fada tem consulta e raio-x para saber o estado da asa). Ainda não sei se vou levar o computador (porque a ideia é mesmo descansar) mas vou dando sinal de vida no meu instagram.


AngelLuzinha
Sex | 12.06.15

Uma sessão perfeita

Paula Veiga Claro
Quem segue o blog já sabe que todos os dias procuro alcançar a perfeição em tudo aquilo que faço. O perfecionismo está-me no sangue. Sempre fui assim. Todos os dias compito comigo mesma na ânsia de me superar. Sou a minha maior rival e a minha maior critica. Todos os dias limo arestas no sentido de alcançar as metas que a minha mente me propõe constantemente. Todos os dias dou mais um passo no sentido de alcançar aquilo que é perfeito para mim. E foi isso que alcancei com esta sessão. Uma sessão que me permitiu fazer exatamente o género de fotografia que mais amo. A fotografia de conto de fadas. A fotografia etérea e poética. A fotografia suave, doce, serena e luminosa. A fotografia que espelha a criança que há em mim e que sonha com mundo encantados.

Foi isso que alcancei neste final de tarde com a Maria Eduarda. Uma princesa com cara de anjo e jeito de fada. Uma mini sessão que a mãe quis oferecer a si mesma para eternizar o seu sexto aniversário. Uma mini sessão num jardim encantado com uma luz absolutamente maravilhosa. A luz que fascina qualquer fotografo. A luz que só a natureza nos proporciona em certos dias e a certas horas... a luz que jamais conseguiremos reproduzir em estúdio. Uma mini sessão (25 fotos) feita numa hora e tal entre sorrisos e brincadeiras porque as minhas sessões são isso mesmo, momentos de lazer, descoberta e diversão para a criançada. Não trabalho contra relógio. Este género de trabalho é feito ao ritmo delas, sem pressa, sem stress, sem imposições.

E quando a esta luz se junta um jardim de sonho e uma princesa, o resultado é este. Parabéns Maria Eduarda, pelos teus 6 aninhos e pela magia que emanas 
























Angel Luzinha Fotografia
Serviços, preços e contactos aqui no blog


AngelLuzinha

Pág. 1/3