Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Ser mãe é #27

21.08.14 | Paula Veiga Claro
Ir ao google em busca de respostas para as perguntas que ela me faz...

"Mamã, a Amélie come pouco mas bebe muita água. Assim não morre pois não? Ela é como as pessoas, não é? As pessoas sobrevivem muitos dias sem comer mas morrem depressa se não beberem água."

"Exatamente. Mas ela come pouco porque é pequena e tem um estômago pequenino. Bebe água que se farta mas come pouco, é um pisco! Mas não te preocupes porque ela não morre de fome. Os cães comem de acordo com o peso que têm e ela é super ágil e saudável. Ela sabe gerir o apetite. Quando tem fome come e quando não tem fome não aceita. Ela sabe!"

"E os peixes? Os peixes também bebem água?"

"Ups! Boa pergunta minha querida! Não faço ideia..."

"Mas eles têm guelras e a água entra lá dentro! "

"Pois... a água entra lá dentro mas depois sai... não chega à barriga... as guelras são os pulmões deles... mas deixa-me lá ir pesquisar para ver se não estou para aqui a dizer um grande disparate."

Obrigada google por me simplificares a vida todos os dias! Encontrei uma boa resposta aqui e lá lhe satisfiz a curiosidade sem dizer disparates porque estas coisas da biologia já não moram na minha cabeça. As coisas que eu vou reaprender agora quando ela entrar no 1º Ciclo... vai ser giro! Até sinto borboletas na barriga 



Rafaela: Colar Terços da Lupinha / Vestido Maria Concha

AngelLuzinha

De regresso ao trabalho ao ritmo do verão

19.08.14 | Paula Veiga Claro
De regresso aos dias loucos entre sessões, edições, orçamentos, blog, contactos, parcerias, compromissos, tarefas domésticas e uma filha querida sempre atrás de mim a pedir atenção e brincadeira. Ela e a Amélie, as duas sempre de volta das minhas pernas numa loucura que nem calculam! Gerir tudo não é fácil (nada fácil!) sobretudo quando não se faz parte do grupo de mães sortudas que têm os avós por perto para darem uma ajuda. É preciso calma, paciência, rotinas e muita organização. Em setembro temos a Rafaela no 1º Ciclo e, até lá, quero que ela aproveite o verão ao máximo porque depois não vão faltar horários, trabalhos de casa e muitos livros. Por isso mesmo, vou organizando os meus dias em prol dela, para que brinque e aproveite tudo ao máximo. 

Ontem, ao final da tarde, fomos até à praia e os seus olhos viram pela primeira vez um barco de pescadores a chegar à costa. Descarregaram o barco e espalharam o peixe num oleado enorme. Todos vivos, todos aos pulos. A Fada dos Animais ficou chocada. 

"Ohhhhh coitadinhos, estão a morrer! Não conseguem respirar!". Junto ao peixe também havia estrelas do mar, alforrecas e milhentos caranguejos. Enquanto os pescadores selecionavam o peixe, ela tentava salvar os caranguejos. Quase que se ia metendo debaixo do trator quando o viu arrancar e passar por cima deles. "NÃOOOOO!" exclamou ela de balde na mão e coração partido. O trator seguiu o seu rumo e ela ficou no areal a salvar os que ainda estavam vivos. "Coitadinhos! O senhor podia ter passado ao lado deles, não precisa de os esmagar! Isso não se faz! Ficaram todos estropiados!".

No fim, lá foi ela até ao mar para devolver à natureza os que conseguiu salvar. A coisa mais querida de se ver e ouvir! Não falou noutra coisa até adormecer. Esta miúda tem mesmo que ir para o Greenpeace...


Um brunch à boca do mar

17.08.14 | Paula Veiga Claro
Desta vez não fui em trabalho. Digo isto porque o Hotel Grande Real Villa Itália em Cascais tem sido o palco de algumas das minhas sessões (ver aqui e aqui). Desta vez convidaram-me para desfrutar em família do "Brunch à Boca do Mar". Quem é que ainda não ouviu falar destes repastos para lá de maravilhosos que decorrem todos os fins de semana das 12h30 às 16h00? Uma infinidade de aromas e paladares para saborear devagar enquanto os olhos se perdem no mar. Receitas tradicionais salpicadas pela criatividade e originalidade do Chefe. Tudo de babar! Admiro profundamente quem segue esta carreira. Como é que ainda conseguem inventar novos paladares e texturas a partir de ingredientes e receitas enraizadas na nossa cultura? Eu, que sou uma naba na cozinha, fico verdadeiramente rendida a quem faz disto profissão e consegue deixar-nos colados à mesa com uma vontade gigante de repetir tudo vezes sem conta. A gula é um dos 7 pecados mortais... e eu hoje pequei (eh eh eh)... e soube-me tão bem! Parabéns ao Chefe!

Aqui fica a dica para quem quiser fazer um programa diferente a dois ou em família... ou comemorar uma ocasião especial... ou descobrir novos sabores ;-)









Um sábado que terminou (como não podia deixar de ser!) no parque infantil do Jardim Marechal Carmona. A Rafaela adora passar por lá para ver a bicharada e dar largas à sua energia que está sempre no máximo... sobretudo depois de uma refeição destas!





Fica tão boneca com o top e calções Sílvia Melo Pontinhos. Um coordenado prático e cheio de pinta para brincar à vontade por estes parques e jardins. Digam lá o que disserem mas não há nada melhor que ver os nossos filhotes felizes e cheios de energia. Este sorriso enche-me a alma! Um amor que transcende o infinito 


AngelLuzinha

De passagem pela nossa casa de campo

15.08.14 | Paula Veiga Claro
Dias dedicados ao descanso e à família mas sempre de máquina em punho porque não resisto em captar estes momentos deliciosos. Adoro "beber" cada gota desta luz especial. Adoro vestir uma roupa prática e andar por ali descontraída a observar a Rafaela. Assim que chegou lá foi ela a correr até à casa da vizinha para encher de mimos esta família que adora. O mais magrinho continua a ser a sua paixão por ser o mais frágil e delicado (um amor!). Ajudou os avós a apanhar maçãs, descobriu amoras perto da ribeira, foi dizer um "olá!" à égua Boneca mas esteve sempre atenta à Amélie que adora andar pelo campo a espalhar o seu charme por onde passa. Parece mesmo uma raposa, dizem os vizinhos! Pois parece! Ela e as suas orelhas espetadas sempre à espera de mimos e brincadeira... fofa mais fofa não há...

Dias felizes para aproveitar até ao último raio de Sol 


















Rafaela: T-shirt Zippy / calções Zara / chinelos Accessorize

AngelLuzinha

O reencontro

13.08.14 | Paula Veiga Claro
Quando chegámos, estava sentada na varanda ao lado dos avós. Estacionamos o carro mesmo em frente e assim que a Rafaela levantou a fralda da janela (continua a ser o melhor método para não levar com o sol nas viagens) começou a tremer de excitação de orelhas no ar. Conheceu-nos num ápice! O avô teve que a segurar para não se atirar da varanda abaixo! Tremia de tal forma que parece que lhe ia dar uma coisa! Saímos do carro desejosos de a abraçar. Foi o delírio! Tremia, pulava, gemia, lambia-nos e mordiscava-nos as mãos numa alegria que dava gosto ver. E nós a pensar que ela podia estar amuada por a termos deixado 8 dias longe de nós. Nem pensar! Recebeu-nos com a maior felicidade e gratidão do mundo! Que amor fantástico! Para além disso, ficou muito bem entregue (melhor era impossível!) e os meus pais adoraram-na porque ela é de facto adorável e não dá trabalho nenhum. Cada vez que penso que alguém a abandonou desta forma até fico a ferver por dentro. Agora é mimada e tratada como merece... como uma princesa! 

Quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos animais, a sério! A forma carinhosa como olha para nós, a companhia que nos faz, a gratidão que demonstra, o ar dócil e brincalhão, a fidelidade única e despretensiosa... não é à toa que digo que ela é a minha "mais nova", uma espécie de bebé. Uma bebé de quatro patas que me deu a conhecer uma nova forma de amar. Nunca pensei dizer isto, mas é verdade! Aliás, quem me conhece pessoalmente fica de boca aberta a pensar como é que uma pessoa altamente enojada como eu (sim, tenho a mania das limpezas e a pancada dos micróbios!) pode viver agora com uma cadelinha em casa. A isto chama-se amor! Amor a ela e à Rafaela que todos os dias nos diz que a Amélie ainda lhe parece um sonho. Se eu soubesse o que sei hoje já lhe tinha feito a vontade há mais tempo porque a casa continua imaculada (já não vejo micróbios em todo o lado! tem sido uma terapia para mim) e a felicidade é inexplicável 








Sempre atenta, sempre protetora como uma mana mais velha! Por vezes é demais porque não deixa ninguém chegar perto. Tem medo que lhe possam fazer mal ao olho esquerdo, visto estar cega do direito... é um amor que nem calculam!











Rafaela: Túnica Zippy / calções Lanidor / sandálias Primigi 

AngelLuzinha

Férias grandes - parte IV

10.08.14 | Paula Veiga Claro
Hoje foi o último dia de férias neste paraíso que adoramos. Dias dedicados ao descanso, ao desporto, à contemplação e ao mimo. Dias dedicados ao que nos faz feliz. Fica a vontade de regressar porque há qualquer coisa de grandioso que nos fascina nesta região. Sempre que aqui chegamos somos invadidos por uma imensa paz interior. Será a paisagem deslumbrante onde o verde e o azul caminham lado a lado? Será este ar puro que nos refresca a alma? Será a simpatia e a simplicidade das pessoas desta zona? Serão as praias selvagens e os caminhos pedestres entre as serras? Não sei. Só sei que aqui somos felizes e nada mais importa. 


Praia de Santa Rita. Uma das nossas preferidas pelo imenso areal, pela paisagem em redor e pelos bons acessos. Uma praia perfeita para quem tem surfistas na família que gostam de bons sets. Aqui o mar raramente está flat! O nosso homem que o diga! Não deu descanso à prancha...



Houve tempo para tudo, inclusive para dar um pulo a Peniche. O papá matou saudades dos surfspots e nós aproveitámos os saldos/promoções para fazer umas compras à maneira. Girls will always be girls ;-)



Amanhã checkout e toca de rumar ao Alentejo. A Amélie está à nossa espera e a saudade começa a apertar. A Rafaela fala nela dia e noite e até já quis que a avó colocasse o telefone ao ouvido da bichinha para ela ouvir a sua voz (um amooooooor!). Para a semana continuamos de férias mas já na companhia da raposa mais querida do mundo ;-)

AngelLuzinha

Férias grandes - Parte III

08.08.14 | Paula Veiga Claro
A manhã acordou fresca e cinzenta. No problem! Para quem gosta de fazer caminhadas o céu nublado não é problema e até sabe bem! Trocámos os calções pelas calças e lá fomos nós estrada fora. Já sabem que a Rafaela não morre de amores por calças mas adora estas por serem tão leves e confortáveis. São da Zippy e ficam o máximo com uma túnica branca e sandálias. Estilo boho chic rules! 


Depois da caminhada ainda sobraram energias para passar dos 38 aos 6. A sério, não consegui resistir! Aproveitei para dar largas à eterna criança que vive dentro de mim e diverti-me a valer. Pulei que me fartei nas bolas saltitonas, andei de trotinete (adoro! para o Natal quero uma só para mim!), dei umas tacadas no mini golf (um desastre! não acerto uma!) e encarnei num cubo diabólico que "lutou" contra a Rafaela. Estão a imaginar a loucura, não estão? Saímos de lá direitinhos para a banheira (papá incluído!) porque a roupa colava ao corpo!!


A manhã cinzenta deu lugar a uma temperatura abafada e o céu voltou a encher-se de azul. Toca a aproveitar (depois de uma sesta para repor energias, pois claro!)

Para ela o fato de banho Amor Algodão e para mim o biquini Nortada que continua a ser o meu preferido porque os folhos dão volume e favorecem imenso as magricelas com pouco peito como eu ;-)


E assim foi! Mais um final de tarde espetacular nesta praia que adoramos... 



AngelLuzinha


Férias grandes - parte II

06.08.14 | Paula Veiga Claro
Neste momento o pai e a filha estão espalhados em cima da cama. Dormem a sesta que nem dois anjinhos. E eu? Eu aproveito para entrar no mundo virtual e "blogar" ao som da ondulação deste mar imenso. Priceless! É um deleite para a minha alma! Prometi a mim mesma que, durante estas semanas, ia desligar-me a 100%... mas não consigo... afinal de contas, o blog é a extensão da minha alma e eu não consigo viver sem escrever e fotografar. Sou um caso perdido! Já não tenho cura!

Os nossos dias continuam a ser passados entre o verde e o azul. De um lado a serra, do outro o mar. Dias divididos entre praia, piscina e longas caminhadas pelo campo (só hoje já fizemos 5 Kms a pé para além das termas do Vimeiro). Dias sem rotinas e sem horas marcadas. Dias de puro lazer e descontração. Já lá vai o tempo em que a Rafaela era bebé e não nos dava margem para aventuras. Como era uma grande chorona nem ousávamos trocar-lhe os horários (para bem da nossa sanidade mental!). Tínhamos que andar sempre ao ritmo dela, caso contrário, era o caos. Mas agora é uma crescida, faz uma companhia fantástica, alinha em tudo e raramente dá mostras de cansaço (hoje, ao fim dos 5 kms, é que começou a perguntar se lhe podíamos dar um pouco de colo!). 

Em suma, têm sido umas férias quase perfeitas. Quase, não fosse ter acordado com uma das minhas crises na cervical. Mal consigo virar o pescoço. Enfim, mais uma! Voltaren e Nimed para cima e toca de aproveitar estas dias com os meus amores. Só falta a querida Amélie que teve que ficar no Alentejo com os avós. Que saudades da raposa mais fofinha do mundo! 

Dias de um azul intenso onde a Nikon tem sido substituída pelo telemóvel. Fotos instantâneas ao sabor da preguiça porque férias são férias e os dias são para aproveitar ao máximo 






 Rafaela: Fato de banho Amor Algodão / lenço Est Art / Óculos Chicco / Calções Zara / T-shirt Primark 

AngelLuzinha