Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Coisas giras ;-)

22.12.11 | Paula Veiga Claro
Quem tem uma filha tem duas tentações: a roupa e os acessórios.

Se a primeira é uma perdição, a segunda não lhe fica atrás. Há acessórios giros a valer! E o que as nossas princesas gostam destas coisinhas?!!?!! ;-) Ficam lindas, quentinhas e muuuuuuito fashion :-)

Estes são da Vertbaudet ;-)






A biblioteca vai crescendo!

22.12.11 | Paula Veiga Claro


Pois é, com tanta pergunta tenho que me munir de bons livros para estar à altura da curiosidade crescente da minha piolha. Confesso que ainda não consegui arranjar um manual sobre meteorologia para dar resposta à pergunta "O vento tem boca para soprar?".... mas encontrei um espectacular sobre alimentação.

Perguntas como estas, encontram aqui uma resposta simples, cientifica e adequada às cabecinhas dos nossos tesouros ;-)

- Porque é que alguns alimentos perdem as suas vitaminas?
- Porque é que o pão tem buracos?
- Porque é que o pão fica dura ao fim de dois ou três dias?
- Porque é que descascar cebolas nos faz chorar?
- Porque é que se diz que a cenoura faz os olhos bonitos?
- Porque é que as pipocas rebentam?
- Porque é que a pimenta nos faz espirrar?
- As gorduras dos alimentos são todas más?
- De onde vem a gelatina?
- Porque é que as sementes estão dentro dos frutos?
- Porque é que o açúcar tem pontos brilhantes?

Etc, etc, etc :-))))



Verdades proibidas

21.12.11 | Paula Veiga Claro
A visão desta semana tem como tema de capa uma verdade proibida.

Acabei de ler o artigo e fiquei pensativa. Segundo Jeffrey Kluger todos os pais têm maior inclinação para um dos seus filhos, embora nunca o assumam. É tabu, é socialmente incorrecto. A maior inclinação por um dos rebentos, quase nunca assumida, está nos nossos genes e cientificamente comprovada. O autor avança ainda que há danos para os preteridos mas ser o (a) eleito (a) também não é pêra doce.

É a chamada ciência do favoritismo.

Como só tenho uma filha não sou a pessoa mais indicada para falar no assunto mas confesso que o artigo dá que pensar. Será? Será que os pais têm um filho preferido?

O amor pelos filhos não se divide, multiplica-se, mas os pais são seres humanos e como tal é natural que se identifiquem mais com determinado filho (a) por este ou por aquele motivo. Mas será que isso os leva a amar mais um do que outro? A forma como falam, a forma como agem com cada um dos filhos será reveladora dessa preferência? A rivalidade entre irmãos faz parte da história mas será um indicador desse favoritismo camuflado?

Enfim, isto dava pano para mangas!! Sem dúvida ;-)

Dar, fazer alguém feliz!

21.12.11 | Paula Veiga Claro

Ontem, ao final da tarde, fomos as duas até à Loja Solidária. Eu levei um saco de roupa que já não vestimos e ela levou as suas botinhas cor de rosa que já não lhe servem. Faço questão que a minha filha comece a perceber que nem todas as crianças têm um quarto cheio de roupa e brinquedos como ela, faço questão que ela cresça com a consciência de que não se deita nada fora. Aquilo que já não nos faz falta pode ser um verdadeiro achado para outra pessoa.

Por isso mesmo, agarrou no saquinho e deu à senhora dizendo "Tenho pena, as minhas botinhas são tão bonitas mas já não me servem porque eu estou a crescer. São tão lindas mas magoam-me os pés!".

É óbvio que lhe magoam! Ela cresce a olhos vistos e os pézinhos também! Um dia destes ainda as levou para a escola mas quando a fui buscar estava descalça porque lhe apertavam e não as aguentava!! Por isso mesmo, e porque estão novas, vão fazer feliz outra menina :-)

Não se esqueçam! Se tiverem roupa/calçado de adulto e criança que já não usam, façam o favor de entregar na Loja Solidária. Estas pessoas estão a fazer um excelente trabalho e quem precisa agradece.  

Os artigos são posteriormente vendidos a um preço simbólico e o dinheiro angariado servirá para comprar géneros alimentares para as famílias/indivíduos carenciados, assinalados pela Comissão Social de Freguesia. E acreditem, as famílias carenciadas são cada vez mais.

Horário de funcionamento:
3ª feiras: das 16h00 às 20h00
Sábados: das 10h00 às 13h00

Morada:
Largo do Mercado, Loja n.º 7, 2795 - 141 Linda-a-velha
Tel. 214 141 895 Fax. 214 144 304

Pérolas: Mais perguntas

20.12.11 | Paula Veiga Claro
Hoje, enquanto lhe dava banho, a piolha começa com esta conversa.

Rafaela: "Mamã, a Susana também já foi bebé? Tu já foste bebé? Todas as pessoas grandes já foram bebés?

Eu: Claro! A Susana já foi bebé e eu também! Todas as pessoas grandes já foram bebés. Primeiro são bebés, depois vão crescendo e tornam-se adultas, pessoas grandes. 

Rafaela: E depois ficam velhas e morrem, não é? mas há bebés que também podem morrer, não é?

Eu: Pois, os bebés também podem morrer. As pessoas não morrem só quando são velhas. Também podem morrer quando são novas. Podem ter uma doença ou um acidente e morrem. Por isso temos que ter juízo e muito cuidado para não termos acidentes e morrermos.

Ela ficou a pensar e em seguida perguntou: "Mas ainda falta muito tempo para nós morrermos mamã?"

Eu respondi: Nós nunca sabemos quando vamos morrer.

Ela olhou para mim, encolheu os ombros e exclamou sorridente. "Ah pois, podemos morrer às 8 ou às 8 e meia!!"

Enfim... santa inocência!!! Como é óbvio ela ainda nem sabe ver as horas mas já começa a ter uma vaga noção do tempo. O tempo, esse maldito que nos foge, esse maldito que é tão precioso.

Estas perguntas acerca da morte são próprias da idade mas é o tipo de conversa que me perturba. Não gosto. Tento levar o assunto de forma ligeira mas não gosto. Preferia que ela me perguntasse como se fazem os bebés mas por enquanto ainda não se mostrou para aí virada. Anda mais curiosa com estas questões obscuras da vida e da morte... enfim...

De volta à terra :-)

20.12.11 | Paula Veiga Claro
A verdade é que não é preciso ter muito dinheiro para se andar bem vestido. O que é preciso é ter bom gosto! Sim, bom gosto e uma figura cuidada. De nada serve vestir Prada se depois se tem uns belos kilos a mais, ou uns dentes pavorosos ou uma pele estragada ou umas unhas mal tratadas ou um cabelo tipo ninho de ratos. Uma pessoa cuidada faz melhor figura com um modelito da Zara do que uma pessoa desmazelada com um modelito Dior :-))

Para além disso, é fundamental ter noção daquilo que nos favorece e daquilo que nem devemos experimentar! E depois há que saber vestir de acordo com as situações, pois claro.

Aqui ficam algumas sugestões para as nossas pequenas princesas receberem o Pai Natal ou o Ano Novo com elegância e glamour.

Vestidos lindos a preços simpáticos (como se pretende!). Todos da Zara ;-)














Pérolas: A morte e a velhice

20.12.11 | Paula Veiga Claro
Tenho por hábito tomar nota de certas coisas que a minha filha diz. Coisas que me parecem dignas de registo, coisas que ela um dia vai gostar de ler e eu de recordar.

Sim, porque eu criei este blog com esse intuito. Já lhe mostrei e já lhe expliquei que aqui escrevo sobre ela, sobre nós, e que quando for maiorzinha vai gostar de ler todas estas palavras. Já sabe que eu sou a Angel porque sou o seu anjo da guarda e ela é a Luzinha porque é uma luz na minha vida, uma flor de luz como a da Rapunzel ;-)

Hoje registei mais uma palavras. Observações de uma menina extremamente curiosa, atenta, teimosa, sensível, vaidosa, caprichosa, meiga e doce como o mel. 

Sem mais nem menos saiu-se com esta: "Mamã, ainda falta muito tempo para nós ficarmos velhas? Tenho medo que tu morras. Mas tu nunca morres não é mamã? Tu comes muitas vitaminas!"

Enfim, já lhe expliquei que não se morre só de velhice.... também se morre de acidente ou de doença... mas ela acha que eu sou eterna.... se a longevidade dependesse apenas da alimentação e do estilo de vida eu seria certamente eterna, mas infelizmente as coisas não funcionam assim. É pena. 

Bem, mas a morte não me fascina minimamente. Aliás, nem gosto de explorar este tipo de conversa porque ela começa com perguntas e mais perguntas... começa com o porquê e porquê... e há coisas que eu não consigo explicar, ou melhor, não quero explicar porque ela ainda é muito pequena.

Mudando de assunto.

Se a curiosidade da piolha não tem limites, a vaidade não lhe fica atrás. É daquelas meninas mesmo femininas! Lá vai ela à sua malinha buscar o batom cor de rosa. Toca de se pintar e de se ver ao espelho. Hoje resolveu pintar os lábios antes de lanchar.
"Rafaela, o que é que queres lanchar? Pode ser um iogurte do ursinho?"
"Sim mamã, pode ser. Ohhhh mas depois o meu batom sai :-("

Tive que me rir, pois claro. E lá lhe respondi: "Não faz mal! Depois pintas outra vez!"